18º gRANDE pRÉMIO DO aTLÂNTICO

Tal como em 2016, para a primeira prova do ano desloquei-me mais uma vez à Costa da Caparica, para participar no Grande Prémio do Atlântico, desta vez na companhia da Esmeralda que ia tentar baixar da hora aos 10K. Saímos de Lisboa cerca das 8:30, debaixo de chuviscos, que passaram a chuva forte assim que passámos a Ponte 25 de Abril e virámos para a Costa. No entanto, à medida que a hora da partida (10h) se aproximava, o tempo foi melhorando, contrariando todas as previsões, e ficou excelente para a prática desportiva: temperatura agradável, sem chuva nem vento. Assim, à última da hora decidi correr de manga curta e foi a melhor opção que poderia ter feito.

O meu objectivo para esta corrida era fazer a terceira prova de 10K com ritmo inferior a 4:40 min/km, depois de ter quebrado essa barreira em Dezembro passado, no Grande Prémio do Natal (4:33 min/km) e na São Silvestre de Lisboa (4:39 min/km). O record pessoal realizado na primeira prova, que beneficiou significativamente do facto do local de chegada estar situado a um nível bem inferior ao de partida, estava fora de causa, mas pretendia fazer melhor do que na segunda prova. Com este objectivo em mente, decidi tentar correr todos os kms entre 4:35 e 4:40.

Como é regra em todas as as provas que faço, o meu inicío de corrida é sempre mais forte do que o planeado. Efectuei o primeiro km em 4:29 e o segundo em 4:32. A partir daí, com a entrada na zona da praia e a passagem consecutiva por três tipos de passadiços (madeira, alcatrão e cimento), todos eles cobertos de areia nalgumas partes, fui forçado a abrandar. Contudo, consegui manter um ritmo muito uniforme nesta parte do percurso: todos os kms entre o terceiro e o oitavo foram realizados entre 4:40 e 4:43, ligeiramente acima do planeado. Mesmo a ligeira impressão que surgiu no tornozelo direito ao sétimo km não prejudicou de forma importante a minha corrida.

No nono km comecei a sentir-me com força, tendo conseguido acelerar um pouco (4:37) e passar alguns atletas. Nesta altura ia acompanhado dum atleta cuja respiração se fazia ouvir de forma exuberante. Os primeiros 200 metros do último km ainda os realizei na companhia deste atleta, mas quando decidi aumentar o ritmo ele ficou imediatamente para trás e a pouco e pouco comecei a aproximar-me dos atletas que uns minutos antes pareciam inalcançáveis. Realizei um excelente sprint final, ultrapassando vários atletas e fazendo o último km em 4:26. O tempo efectivo em 10K de 46:12 constitui a minha segunda melhor marca de sempre e a melhor em provas com partida e chegada no mesmo local. Claramente, objectivo atingido!

A Esmeralda chegou cerca de dezasseis minutos depois, tendo realizado um tempo oficial bruto de 1:02:35. A barreira da hora caiará certamente em breve.

 

Resumo

Tempo oficial líquido: 46:26
Tempo efectivo em 10K: 46:12
Ritmo efectivo: 4:37 min/km
Classificação geral: 194 / 908
Classificação escalão (M4549): 33 / 124

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now
Diploma