ROCK 'N' ROLL LISBON HALF MARATHON

Primeira meia maratona da época, ainda durante o decurso do plano de treinos para provas para 10K e portanto com poucos treinos acima dos 16K. Desta vez, para além da minha participação na meia maratona, a Esmeralda e a Ana iriam participar na mini maratona (cerca de 6 kms), depois de na véspera, juntamente com a Teresa e a Cristina, terem participado mais uma vez no Passeio Mimosa Avós e Netos. Nesse mesmo dia, fomos ao Meo Arena levantar os kits de participação e recebi desde logo a medalha "World Rocker" por esta prova ser a minha segunda meia maratona do Circuito Rock 'n' Roll 2016 realizada em países diferentes (Edit: cerca de 10 semanas depois recebi pelo correio outra medalha, a "Double Beat", por ter participado, no mesmo ano, em duas meias maratonas do Circuito Rock 'n' Roll)


O dia amanheceu muito bonito, cheio de sol e com temperatura agradável, sugerindo que durante o horário da prova o calor poderia vir a apertar. Chegámos à zona da Estação do Oriente por volta das 7:30, mesmo a tempo de apanhar o segundo autocarro para a Ponte Vasco da Gama. O percurso do autocarro foi um pouco atribulado. Após a travessia completa da ponte, era necessário sair na estação de serviço situada à direita, apanhar um atalho, voltar a entrar na estação de serviço mas já do lado esquerdo da estrada e depois entrar novamente na ponte e percorrê-la em quase toda a sua extensão até ao local da partida. Não é que no tal atalho a nossa motorista (tinha de ser...) se perdeu?


Após as fotos da praxe na ponte, com a menina do costume a esquivar-se não vão os pais lembrar-se de publicar as fotos no facebook, lá nos separámos, indo cada um para os correspondentes locais de partida. Faltando ainda cerca de duas horas para a partida, procurei um local confortável para me sentar no chão e descansar um pouco, passando o tempo a observar os outros atletas. Sendo a primeira meia maratona da época, o objectivo era apenas chegar ao fim, de preferência a um ritmo médio a rondar os 5:15 min/km, pelo que nem sequer tentei colocar-me perto da linha de partida, apesar de ter sido dos primeiros atletas a chegar.


Após uma ida ao WC e um pequeno lanche, tentei aquecer um pouco fazendo alguns exercícios, sem muito sucesso, no meio da enorme multidão que entretanto se tinha juntado. A última ida planeada ao WC revelou-se impossível de realizar antes do tiro de partida, pelo que foi necessário procurar alternativas menos civilizadas...


Dado o tiro de partida, procurei não partir demasiado rápido, tendo o primeiro km sido percorrido, mesmo assim, em 5:09. Durante os 6 kms seguintes fui sempre acompanhado por uma atleta do Barreiro que parecia seguir num ritmo semelhante ao meu. No entanto, 5 destes 6 kms foram realizados a ritmos no intervalo 4:50-5:00 min/km, o que era bem mais rápido do que o que tinha planeado. Quando estava a tentar decidir se deveria abrandar e deixá-la seguir, trocámos umas palavras e fiquei a saber que ela estava a realizar a sua primeira meia maratona e que já se sentia bastante cansada. Efectivamente, por volta do km 7, durante um abastecimento separá-mo-nos e não mais nos voltámos a encontrar (daqui até ao final ela perderia cerca de 15 minutos em relação a mim).


Como apesar deste primeiro terço realizado a um ritmo relativamente rápido, e do calor que se começava a fazer sentir, me estava a sentir bem, abrandei apenas ligeiramente nos kms seguintes: o km 8, que incluia a principal subida da prova, foi realizado a 5:20, mas os 10 kms seguintes, do 9º ao 18º, foram realizados a um ritmo muito regular, sempre entre os 5:03 (km 18) e os 5:10 (kms 12, 15 e 16). Dois factores foram importantes para o bom desempenho nesta parte da prova: por um lado, tomei os 2 géis que tinha levado comigo e que cada vez mais me parecem ser essenciais para provas desta natureza; por outro lado, por volta do km 12,5, o percurso passou a coincidir com os kms finais da maratona, o que em termos motivacionais foi importante pois permitiu que a maior parte do tempo fosse passada a ultrapassar atletas da maratona, já que eles, naturalmente, apresentavam um nível de cansaço bastante superior ao meu.


O km 20 foi realizado em 5:02, o 21 em 4:56 e nos últimos 310 metros (medidos pelo relógio) consegui sprintar a um ritmo de 4:28 min/km, ultrapassando vários atletas na recta da meta. No final, recorde pessoal batido por 1 minuto e 7 segundos e prova realizada a um ritmo inimaginável à partida de 5:05 min/km. Excelente!
 
A organização da prova pode apenas ser classificada como razoável. Como aspectos positivos, merecem destaque: a enorme quantidade disponível de autocarros que permitiu levar os atletas para a linha de partida sem grandes problemas e sem ser necessário passar muito tempo nas filas de espera; os numerosos, e idealmente espaçados, abastecimentos de água; e os dois "duches" proporcionados pelos bombeiros. Por outro lado, é inconcebível que as provas organizadas pelo Maratona Clube de Portugal continuem a não ter blocos de partida e marcadores de ritmo (para mais numa prova do circuito Rock 'n' Roll - será que os organizadores desta meia maratona já alguma vez estiveram presentes numa prova deste circuito no estrangeiro para perceberem a diferença abismal que existe em relação às provas que organizam em Portugal? Ou não se importam com isso?). É também de lamentar que, tal como na meia maratona realizada na outra ponte em Março passado, o número de WC's na zona da partida tenha sido ridiculamente baixo e as bananas oferecidas no final estivessem intragáveis, de tão verde que estavam.

Resumo

Tempo oficial líquido: 1:48:14
Tempo efectivo em 21,0975K: 1:47:05
Ritmo efectivo: 5:05 min/km
Classificação geral: 1211 / 5820
Classificação escalão (M4549): 169 / 607

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now